Símbolo e Civilização

12 Julho 2022

Grande Colar da Ordem Militar de Avis, um símbolo inseparável da História de Portugal

«O símbolo é, como definiu um poeta, “aquela verdade que tem face de mentira”. Ele exprime, numa linguagem de beleza, que encanta os sentidos, realidades profundas, que estão além do que a língua humana pode manifestar…

«Felizmente para o maior número, o homem não se define como uma inteligência pura: o símbolo, sendo uma linguagem por imagens, é mais expressivo que a própria palavra. E esta mesmo que é, senão o símbolo imperfeito do pensamento?

«Assim como sem a palavra não há pensamento, também sem os símbolos não há civilização – eles traduzem o que nela há de mais íntimo: a alma.»

(D. Manuel Gonçalves Cerejeira, “Vinte Anos de Coimbra”, Lisboa, MCMXLIII, p. 174, 2ª edição)

IPEC - Telegram

Ultimos artigos

25 de Abril, 50 anos depois: Meio século de ataques à Família e à Ordem Cristã

25 de Abril, 50 anos depois: Meio século de ataques à Família e à Ordem Cristã

A «liberdade» e a «democracia», tão proclamadas no 25 de Abril de 1974, foram rapidamente engolidas pelas forças da esquerda. O «contra-golpe» do 25 de Novembro impediu que o Partido Comunista tomasse conta do Poder, mas não foi senão um recuo estratégico da Revolução para entregar os destinos do País ao socialismo e aos seus aliados da social-democracia. Portugal entrou então em lenta agonia e a Família — célula mater de toda a sociedade — foi a mas atacada de todas as instituições, conforme descreve este Manifesto.

Biblioteca

O Regicídio de 1908
O Regicídio de 1908

Este livro é obra do Professor catedrático de Coimbra, Doutor Aníbal Pinto de Castro, tendo forte conteúdo  evocativo e rara beleza literária....

Share This