O grande triunfo do Leviatã

20 Novembro 2020


Thomas Hobbes (1588-1679) foi um teórico político e filósofo inglês, autor do livro «Leviatã» (1651). Nessa obra, Hobbes explicou os seus pontos de vista sobre a natureza humana e sobre a necessidade de um governo e de uma sociedade fortes.

Nesse livro, o autor expõe a teoria do Contrato Social, que, segundo ele, é a única maneira de explicar como os homens poderão viver em sociedade sem se matarem uns aos outros. Jean-Jacques Rousseau foi o mais famoso formulador dessa teoria, no fim do século XVIII, na Revolução Francesa.

Para Hobbes, a única forma de impedir a «guerra de todos contra todos» é através da presença de uma autoridade à qual os membros da sociedade devem entregar parte da sua liberdade natural em troca da paz interna e da defesa comum assegurada por um único soberano, uma autoridade inquestionável.

Antigamente, as pessoas enfrentavam desafios e riscos para obter grandes coisas na vida. Entendiam que há bens que são mais altos do que o sucesso material e mesmo a própria vida. Esses bens incluíam grandes feitos, expressões artísticas e santidade pessoal.

Essas realizações trouxeram honra, glória e salvação àqueles que realizaram grandes feitos. A presente crise sanitária mostrou uma mudança fundamental de mentalidade que aflige a era da pós-modernidade. Muitos agora acreditam que a finalidade da vida é viver da maneira mais confortável e segura possível. Qualquer risco ou desafio tem de ser evitado a todo o custo. Esse quadro reflecte o trágico triunfo das ideias do filósofo Thomas Hobbes do século XVII.

IPEC - Telegram

Ultimos artigos

25 de Abril, 50 anos depois: Meio século de ataques à Família e à Ordem Cristã

25 de Abril, 50 anos depois: Meio século de ataques à Família e à Ordem Cristã

A «liberdade» e a «democracia», tão proclamadas no 25 de Abril de 1974, foram rapidamente engolidas pelas forças da esquerda. O «contra-golpe» do 25 de Novembro impediu que o Partido Comunista tomasse conta do Poder, mas não foi senão um recuo estratégico da Revolução para entregar os destinos do País ao socialismo e aos seus aliados da social-democracia. Portugal entrou então em lenta agonia e a Família — célula mater de toda a sociedade — foi a mas atacada de todas as instituições, conforme descreve este Manifesto.

Biblioteca

O Regicídio de 1908
O Regicídio de 1908

Este livro é obra do Professor catedrático de Coimbra, Doutor Aníbal Pinto de Castro, tendo forte conteúdo  evocativo e rara beleza literária....

Share This