«Nunca tantos deveram tanto a tão poucos!»

30 Julho 2022

Entre Julho e Outubro de 1940, a Inglaterra foi alvo de uma intensa campanha de ataques aéreos da Luftwaffe, aos quais a RAF resistiu vitoriosamente, com grande persistência e heroísmo. Esta campanha da Segunda Guerra Mundial ficou conhecida como «Batalha de Inglaterra» e foi o maior confronto aéreo da História. A foto (Warbird News) mostra os caças Hawker Hurricane usados pela RAF nessa campanha.

Em Junho de 1940, Hitler já dominava parte importante da Europa Ocidental mas a Inglaterra resistia. A invasão deste país, portanto, seria o golpe final para a vitória definitiva do nazismo.

Tendo planeado a invasão da Inglaterra pelo mar, a Alemanha deveria primeiramente alcançar a superioridade aérea. Tentou consegui-la entre Julho e Outubro de 1940 com uma série de operações e ataques aéreos que ficaram conhecidos na história como «Batalha da Inglaterra». Os alemães tinham a maior força aérea do mundo (Luftwaffe) enquanto a força aérea dos ingleses (RAF) era bem menor, porém mais ágil e dotada de melhor tecnologia pois já possuía os ainda desconhecidos radares. Além disso, contava com um elemento decisivo, ou seja, com a vontade de vencer do seu povo e a liderança firme, lúcida e competente de Winston Churchill.

Com menos aviões e menos pilotos, a RAF enviava para o combate os jovens recém-formados, que não tinham medo de enfrentar o inimigo. Muitos perderam os aviões e caíam ao mar, mas eram resgatados pela Marinha Imperial, sendo imediatamente recolocados em combate, alguns até quatro vezes no mesmo dia. Passados quatro meses do desgastante confronto, a Inglaterra estava prestes a sucumbir, o que determinaria também o destino da humanidade.

Porém, a atitude e a resistência dos seus jovens pilotos obrigou Hitler a mudar a sua estratégia, reduzindo as operações nessa frente de batalha, o que permitiu à Inglaterra recompor-se. Foi essa reacção do povo inglês que salvou a humanidade do nazismo. Em discurso que entrou para a história, Churchill resumiu numa frase o desempenho dos seus pilotos: «Nunca tantos deveram tanto a tão poucos!»

Luís de Magalhães Taveiro

IPEC - Telegram

Ultimos artigos

25 de Abril, 50 anos depois: Meio século de ataques à Família e à Ordem Cristã

25 de Abril, 50 anos depois: Meio século de ataques à Família e à Ordem Cristã

A «liberdade» e a «democracia», tão proclamadas no 25 de Abril de 1974, foram rapidamente engolidas pelas forças da esquerda. O «contra-golpe» do 25 de Novembro impediu que o Partido Comunista tomasse conta do Poder, mas não foi senão um recuo estratégico da Revolução para entregar os destinos do País ao socialismo e aos seus aliados da social-democracia. Portugal entrou então em lenta agonia e a Família — célula mater de toda a sociedade — foi a mas atacada de todas as instituições, conforme descreve este Manifesto.

Biblioteca

O Regicídio de 1908
O Regicídio de 1908

Este livro é obra do Professor catedrático de Coimbra, Doutor Aníbal Pinto de Castro, tendo forte conteúdo  evocativo e rara beleza literária....

Share This