In memoriam de S.A.I.R. o Príncipe D. Luiz de Orleans e Bragança, Chefe da Casa Imperial do Brasil

15 Julho 2022

Comunicado do Secretariado da Casa Imperial do Brasil:

«Cumprimos o doloroso dever de comunicar o falecimento de Sua Alteza Imperial e Real o Príncipe Dom Luiz de Orleans e Bragança, Chefe da Casa Imperial do Brasil, que, hoje, dia 15 de Julho de 2022, na cidade de São Paulo, aos 84 anos de idade, confortado com os Sacramentos da Santa Igreja e com a Bênção Apostólica, Deus Nosso Senhor teve por bem chamar a Si.

«O falecido era o primogénito do Príncipe Dom Pedro Henrique de Orleans e Bragança, Chefe da Casa Imperial do Brasil a partir de 1921, e da Princesa Dona Maria da Baviera, tendo nascido no Exílio, a 6 de Junho de 1938, em Mandelieu-la-Napoule (França). Pelo falecimento de seu Pai, a 5 de Julho de 1981, sucedeu-o na Chefia da Casa Imperial como legítimo sucessor dinástico de seus maiores, os Imperadores Dom Pedro I e Dom Pedro II e a Princesa Dona Isabel.

«Com o falecimento do Senhor Dom Luiz, sucede-o como Chefe da Casa Imperial do Brasil seu irmão, o Príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança, que a todos encarece orações em sufrágio da alma do augusto falecido.»

O IPEC associa-se às orações e exéquias por alma de Sua Alteza Imperial e Real com Missa de 7º dia na sua sede social (Coimbra) e recorda que este falecimento ocorreu em dia particularmente simbólico para um Príncipe católico, de virtude exemplar, que amava a Santa Igreja, a Civilização Cristã e os ideais da Contra-Revolução.

15 de Julho, com efeito, é a data em que se comemora a conquista de Jerusalém (1099) pelos Cruzados e a morte dos 40 Mártires do Brasil (os 40 religiosos jesuítas que foram capturados e afogados pelos piratas calvinistas franceses quando iam a caminho do Brasil, chefiados pelo padre Beato Inácio de Azevedo). Este dia 15 de Julho de 2022 é também véspera de sábado de Nossa Senhora do Carmo, por quem o Príncipe tinha especial devoção.

Por decreto do Presidente da República Federativa do Brasil, Jair Bolsonaro, foi também declarado o luto oficial em todo o país pelo falecimento do Chefe da Casa Imperial.

IPEC - Telegram

Ultimos artigos

25 de Abril, 50 anos depois: Meio século de ataques à Família e à Ordem Cristã

25 de Abril, 50 anos depois: Meio século de ataques à Família e à Ordem Cristã

A «liberdade» e a «democracia», tão proclamadas no 25 de Abril de 1974, foram rapidamente engolidas pelas forças da esquerda. O «contra-golpe» do 25 de Novembro impediu que o Partido Comunista tomasse conta do Poder, mas não foi senão um recuo estratégico da Revolução para entregar os destinos do País ao socialismo e aos seus aliados da social-democracia. Portugal entrou então em lenta agonia e a Família — célula mater de toda a sociedade — foi a mas atacada de todas as instituições, conforme descreve este Manifesto.

Biblioteca

O Regicídio de 1908
O Regicídio de 1908

Este livro é obra do Professor catedrático de Coimbra, Doutor Aníbal Pinto de Castro, tendo forte conteúdo  evocativo e rara beleza literária....

Share This