Batalha do Salado

29 Outubro 2022

(Foto: Wikipédia)

A Batalha do Salado foi travada a 30 de Outubro de 1340, nas margens do riacho do mesmo nome e em terras de Cádis, no sul da Espanha. Nela se enfrentaram os exércitos cristãos dos Reis Afonso IV de Portugal e Afonso XI de Castela contra os exércitos muçulmanos do reis de Marrocos e de Granada.

Esta batalha, vencida pelos exércitos português e castelhano, foi um dos episódios mais importantes da Reconquista cristã. Camões narra-o em uma das mais belas passagens de Os Lusíadas.
Os antecedentes da Batalha do Salado remontam a 1339, quando o rei muçulmano de Granada invadiu Gibraltar e assolou os territórios cristãos do sul da Península.

No ano seguinte, o rei de Marrocos atravessou o estreito com uma frota de 100 navios e entrou vitorioso em Espanha. Para fazer face à prossecução da ameaça muçulmana em direcção ao norte, Afonso XI de Castela pediu ajuda ao sogro, Afonso IV de Portugal, por intermédio da sua esposa D. Maria..
Juntando os seus exércitos, os dois reis cristãos conseguiram uma vitória completa graças a uma excelente tática de combate e boa distribuição das tropas. Após a derrota, o rei de Marrocos fugiu para Algeciras, regressando dali ao seu reino. O rei mouro de Granada recuou para o seu território.
Graças à vitória cristã na batalha do Salado foi possível conter definitivamente as investidas muçulmanas na Península Ibérica. O reino de Granada ainda se manteve por mais 150 anos, mas deixou de constituir ameaça efectiva para os reinos cristãos.

IPEC - Telegram

Ultimos artigos

25 de Abril, 50 anos depois: Meio século de ataques à Família e à Ordem Cristã

25 de Abril, 50 anos depois: Meio século de ataques à Família e à Ordem Cristã

A «liberdade» e a «democracia», tão proclamadas no 25 de Abril de 1974, foram rapidamente engolidas pelas forças da esquerda. O «contra-golpe» do 25 de Novembro impediu que o Partido Comunista tomasse conta do Poder, mas não foi senão um recuo estratégico da Revolução para entregar os destinos do País ao socialismo e aos seus aliados da social-democracia. Portugal entrou então em lenta agonia e a Família — célula mater de toda a sociedade — foi a mas atacada de todas as instituições, conforme descreve este Manifesto.

Biblioteca

O Regicídio de 1908
O Regicídio de 1908

Este livro é obra do Professor catedrático de Coimbra, Doutor Aníbal Pinto de Castro, tendo forte conteúdo  evocativo e rara beleza literária....

Share This