AUTÊNTICO SENTIDO DA GRANDEZA LUSA

23 Fevereiro 2024

50 anos depois: 1974 – 2024

50 anos depois da viragem histórica causada pelo golpe do 25 de Abril, parece-nos oportuno recordar este manifesto do Centro Cultural Reconquista em defesa do Ultramar Português, lançado numa altura (Fevereiro de 1974) em que já nem o próprio governo de Marcelo Caetano parecia preocupado com o futuro dos nossos territórios de Além-Mar.

O destino destes, como se viu, foi traiçoeiramente selado apenas dois meses depois, com o golpe que desfigurou a Nação e que levou a guerra civil e a miséria aos prósperos territórios ultramarinos. Nenhuma das partes do vasto Mundo Lusíada ganhou coisa alguma com as «independências» ou com as falsas liberdades e democracias.

O dano foi feito mas nunca deixou de se agravar porque o Mal é imparável, a menos que seja cortado pela raiz. Este é, por conseguinte, um momento importante para se recordarem as lições da História e não deixar passar a oportunidade das eleições de 10 de Março para estancar o nefasto processo revolucionário de Abril e recomeçar a Restauração de Portugal.

Este é agora o apelo do IPEC a todos os portugueses, cinquenta anos depois do manifesto do Centro Cultural Reconquista.

COIMBRA, 28 de Fevereiro de 1974
Centro Cultural ReconquistaUma força jovem de fé e coragem ao serviço de Portugal

IPEC - Telegram

Ultimos artigos

25 de Abril, 50 anos depois: Meio século de ataques à Família e à Ordem Cristã

25 de Abril, 50 anos depois: Meio século de ataques à Família e à Ordem Cristã

A «liberdade» e a «democracia», tão proclamadas no 25 de Abril de 1974, foram rapidamente engolidas pelas forças da esquerda. O «contra-golpe» do 25 de Novembro impediu que o Partido Comunista tomasse conta do Poder, mas não foi senão um recuo estratégico da Revolução para entregar os destinos do País ao socialismo e aos seus aliados da social-democracia. Portugal entrou então em lenta agonia e a Família — célula mater de toda a sociedade — foi a mas atacada de todas as instituições, conforme descreve este Manifesto.

Biblioteca

O Regicídio de 1908
O Regicídio de 1908

Este livro é obra do Professor catedrático de Coimbra, Doutor Aníbal Pinto de Castro, tendo forte conteúdo  evocativo e rara beleza literária....

Share This