A revolução islâmica no Irão e as suas conexões internacionais

17 Março 2023

Veja como o Irão, muito mais do que uma perigosa república islâmica, está a tornar-se uma «máquina» de desestabilização internacional (Vídeo) (Foto: «Globo.com»)

«A Revolução Iraniana não é exclusivamente do Irão, porque o Islão não pertence a nenhum povo em particular. O Islão é revelado para a humanidade e para os muçulmanos, não para o Irão… Um movimento islâmico, portanto, não pode limitar-se a nenhum país em particular, nem mesmo aos países islâmicos; é a continuação da revolução dos profetas», proclamou o ayatollah Khomeini, num discurso proferido em Novembro de 1979.

A profunda revolução que modificou o Irão, a partir desse ano, teve como um dos legados mais salientes uma nova configuração institucional do país.

A República xiita passa a ser dirigida por autoridades religiosas, não eleitas, com amplos poderes sobre o Presidente da República ou o Parlamento (eleitos). As directrizes da política externa ficarão nas mãos do Líder Supremo, que também comandará as Forças Armadas. Os Guardiães da Revolução Islâmica, uma força paramilitar estará igualmente sob a sua alçada.

Para afirmar a sua força política no campo internacional, a começar pelo Oriente Médio, o regime dos ayatollahs começa a perseguir, em determinado momento, a posse da bomba atómica.

Quais as ligações que levam o regime iraniano a procurar unir-se intimamente ao esquema do Foro de São Paulo?…

José Carlos Sepúlveda da Fonseca

IPEC - Telegram

Ultimos artigos

AUTÊNTICO SENTIDO DA GRANDEZA LUSA

AUTÊNTICO SENTIDO DA GRANDEZA LUSA

Vale a pena reler e reflectir sobre o manifesto do Centro Cultural Reconquista em defesa do Ultramar Português, publicado apenas dois meses antes do nefasto golpe de 25 de Abril de 1974. Precisamente há 50 anos…

Biblioteca

O Regicídio de 1908
O Regicídio de 1908

Este livro é obra do Professor catedrático de Coimbra, Doutor Aníbal Pinto de Castro, tendo forte conteúdo  evocativo e rara beleza literária....

Share This