17 de Julho: Dezasseis carmelitas são decapitadas pelos terroristas da Revolução Francesa

17 Julho 2022

A Revolução Francesa (1791) proclamou a trilogia «Liberdade, Igualdade, Fraternidade» mas mandava para a guilhotina todos asqueles que se lhe opunham ou que lhe causavam desconfiança, como era o caso das ordens religiosas católicas. (Imagem: «Alamy Stock Photo»)

No dia 17 de Julho de 1794, durante o período do Terror na Revolução Francesa, ocorreu o massacre das Carmelitas.

Dezasseis religiosas foram mortas pelo crime de «fanatismo».

Ao ouvir a sentença, uma das Carmelitas perguntou em que consistia o fanatismo, ouvindo esta resposta do Juiz: «É pertencerdes tolamente à religião».

Ela então disse: — «Oh, irmãs! Ouvistes, condenam-nos pelo nosso apego à fé. Que felicidade morrer por Jesus Cristo!»

Todas entoaram unidas o cântico Veni Creator, que ia se extinguindo na medida em que as freiras iam sendo decapitadas.

A última a ser martirizada foi a Superiora que, antes de morrer, declarou: «O amor sempre vencerá, o amor tudo pode.»

Este foi um dos mais trágicos eventos da anticristã Revolução Francesa, e continua a sê-lo nos dias de hoje, marcados pelas contínuas perseguições aos católicos (dentro da própria Igreja!) e pela intolerância contra os que perseveram na Tradição Apostólica.

IPEC - Telegram

Ultimos artigos

AUTÊNTICO SENTIDO DA GRANDEZA LUSA

AUTÊNTICO SENTIDO DA GRANDEZA LUSA

Vale a pena reler e reflectir sobre o manifesto do Centro Cultural Reconquista em defesa do Ultramar Português, publicado apenas dois meses antes do nefasto golpe de 25 de Abril de 1974. Precisamente há 50 anos…

Biblioteca

O Regicídio de 1908
O Regicídio de 1908

Este livro é obra do Professor catedrático de Coimbra, Doutor Aníbal Pinto de Castro, tendo forte conteúdo  evocativo e rara beleza literária....

Share This